Luiz Eduardo Costa
Luiz Eduardo Costa, é jornalista, escritor, ambientalista, membro da Academia Sergipana de Letras e da Academia Maçônica de Letras e Ciências. Além desse blog, é colunista do Portal F5 News.
TEXTOS ANTIVIRAIS (49)
21/02/2021
TEXTOS ANTIVIRAIS (49)

UMA INTERVENÇÃO SEM RESULTADOS?

(No relatório Edgard terá de demonstrar que a intervenção  foi necessária e deu bons resultados)

A intervenção em Canindé do São Francisco foi uma espécie de fast-food, servido rápido e na última hora.

Edgard Motta, o interventor nomeado, é um técnico competente, ninguém duvida disso, e um cidadão íntegro, também. Homem extremamente reservado, e de poucas palavras, ele entrou mudo e saiu calado.

Óbvio, não se quer aqui insinuar que se fosse um falastrão, teria realizado um excelente trabalho. Óbvio, também, aqui não se quer insinuar que a intervenção haja sido um fracasso.

O interventor, nos sessenta dias que lhe deram para consumar um trabalho que teria exigido uns seis meses, e poderia ter sido iniciado dois anos antes, isolou-se, com os poucos assessores que o rodeavam, numa sala onde não faltaram as papeladas costumeiras. Talvez, acautelando-se para não o acusarem de ser um interventor intrometendo-se na politica, num delicado momento de campanha eleitoral, e em tempos de pandemia, ele preferiu não mexer na equipe que encontrou. Fez apenas duas ou três modificações. Nisso, cometeu um equívoco, porque, em setores fundamentais, permaneceram pessoas usando a máquina, exatamente para a campanha, ou continuando, com mais cautelas, as práticas costumeiras, que foram, aliás, o motivo central da intervenção.

O interventor foi conivente? Absolutamente não. Apenas, imaginou uma estratégia que se voltou contra os seus próprios objetivos. Melhor seria ter exonerado a todos, e criado uma equipe reduzida, uma força tarefa para agir em tempo integral, acumulando secretarias, e produzindo mais resultados, fazendo economia, e, inclusive, criando um clima favorável ao combate à pandemia, com participação intensa da coletividade. Ele teria as redes sociais para mobilizar a comunidade, da direção da Xingó FM, teve o oferecimento para usar os horários que desejasse, sem absolutamente nenhum ônus para divulgar tudo que considerasse de interesse público, como as recomendações para o enfrentamento à pandemia, ou mesmo aulas à distância, Em Canindé, nem todos os alunos dispõem de notebooks ou celulares, e a internet não chega a diversos locais.

As atividades escolares estão até agora paralisadas, sem nenhuma ação buscando reduzir os efeitos devastadores no aproveitamento escolar. Na rede municipal existe a real perspectiva de mais um ano perdido, por absoluta inação ou resiliente incompetência.

A rede pública estava a tal ponto sucateada que, nos últimos anos, registrou-se uma brutal evasão escolar. Com as estradas intransitáveis, os ônibus escolares não chegavam a vários pontos do município, faltava merenda, e o calendário de aulas já estava comprometido, mesmo antes da pandemia. Os quase dois mil alunos que abandonaram as escolas, foram recepcionados nas redes municipais de Poço Redondo, onde o prefeito Júnior Chagas consertou estradas, até em áreas de Canindé, para que houvesse o transporte dos estudantes às escolas, que foram preparadas para recebê-los. Também no paupérrimo município baiano vizinho, Santa Brígida, chegou a meninada tangida de Canindé pela incúria e desleixo. Outra parte deles foi absorvida pela rede estadual, ou atravessou o rio para frequentar a escola em Piranhas, Alagoas.

Esse cenário caótico na Educação e na Saúde, onde também os funcionários tinham salários atrasados, e faltavam equipamentos essenciais, não seria aquele, minimamente desejável, para que o município recebesse alguma menção honrosa pelo desempenho administrativo. Mas Canindé, onde todo esse descalabro se registrava, foi, surpreendentemente, contemplado com o selo de qualidade da UNICEF, quase no exato momento em que se iniciava a intervenção com propósitos saneadores.

Então, se fosse efetivamente justificada essa nota de excelência ao desempenho administrativo da Prefeitura de Canindé, conferida por uma entidade internacional altamente qualificada, a intervenção teria sido um erro clamoroso e absolutamente, digamos assim, despicienda.

Seria então algo a ser considerado no processo de intervenção, porque, sendo justo o selo de qualidade, o interventor se tornaria supérfluo, e se faria indispensável recolocar na sua cadeira o prefeito afastado, pedindo-lhe desculpas pelo clamoroso erro de avaliação cometido pelo Ministério Público, pelo Poder Judiciário, e referendado pelo Executivo, que fez a indicação do Interventor.

Porém, se fosse constatado que o selo de qualidade conferido ao município, resultara, apenas, de uma escandalosa fraude, uma manipulação de dados para o desenho mentiroso de uma farsa, então, a UNICEF, por boa fé ou incompetência, teria admitido tudo como retrato verdadeiro, e, assim, sendo vítima de um desprezível logro.

Nessa última hipótese, uma larga avenida estaria aberta, e, se atentamente percorrida, tornaria possível a elaboração de um diagnóstico amplo e definitivo sobre os males, tanto de incapacidade, como de carência moral e ética, que acometem de forma cíclica o infelicitado município.

O interventor, por não falar, nem ouvir, criou uma barreira de incomunicabilidade, mas, agora, dedicando-se a concluir o seu relatório obrigatório sobre a interventoria, poderá ter o cuidado de não economizar palavras, e estender-se no texto final que deverá remeter ao Judiciário, ao Ministério Público, e ao Executivo estadual. Terá, sobretudo, de demonstrar que a intervenção, apesar de curta, não terá sido feita em vão.

LEIA MAIS:

A PETROBRAS, DO “PETROLÃO” A WALL-STREET

(Onde Bolsonaro mete seu dedo desastrado o Brasil mais se desmoraliza diante do mundo. A dedada na Petrobras custou 28 bilhões. Mas o rombo será bem maior)

Perguntaram, um dia, lá pela década dos anos vinte ao magnata do petróleo John Davison Rockefeller: “Qual os três tipos de negócios que o senhor considera mais lucrativos”? E ele respondeu: “Uma refinaria de petróleo pessimamente administrada; uma refinaria de petróleo mal administrada; e uma refinaria de petróleo razoavelmente administrada”.

Como se sabe, Rockefeller verticalizou a atividade das suas empresas, indo da produção, ao refino, e à distribuição. Tornou-se o homem mais rico do mundo.

Passa o tempo, o negócio do petróleo atravessa grandes transformações, o monopólio perdeu-se, repartido pelo mundo árabe, e por tantos outros países. Nesse trajeto fez nascer muitos magnatas, potentados poderosos, deflagrou guerras, até mudou a geografia do mundo, inventando fronteiras e novos países. Agora é um negócio com morte anunciada. Os combustíveis fósseis deixarão de mover o mundo, substituídos pelas energias limpas. Isso durará, ainda, mais de trinta anos, porque, sem a petroquímica, a maior parte das indústrias fecharia as portas. O mundo não se livrará assim tão rápido das petroleiras.

Já em tempos de fim de festa, o Brasil festivamente entrou na “era do petróleo” com os fabulosos campos que sucessivamente vão sendo descobertos, inclusive, aqui, no nosso modestíssimo Sergipe, que anda sonhando em ser um Dubai nos trópicos do ocidente.

Havia um cidadão chamado José Dirceu, era o braço direito de Lula, então presidente. Dirceu ambicionava substituir Lula na presidência, e construir um projeto de poder alongado. Ao lado dele ululavam aliados, como Roberto Jeferson, Michel Temer, Gedell Vieira Lima, e tantos e tantos outros, hoje ululando ao lado de Bolsonaro e dos seus filhos. Mudam o cenário e permanece a encenação. Vivemos um teatro do absurdo.

Havia sido encerrado o ciclo do “mensalão”, aliás fechado, literalmente, pela ação pontual do agora tão malsinado STF. Sem holofotes, sem transtornos institucionais, sem barulhos ensurdecedores de milicianos pedindo ditaduras, o Supremo, então comandado por um cidadão tranquilo, o sergipano Carlos Britto, que vive a ensinar os remédios eficazes da Constituição sendo aplicada, enjaulou a todos.

Secou a fonte, era preciso encontrar outra, e com a prometida riqueza do petróleo, voltaram-se os olhares sempre cúpidos para as burras recheadas da Petrobras.(Já foi comum chamaram-se burras, os cofres públicos, isso sem nenhuma ironia.)

Da cabeça de Zé Dirceu, e dos que o rodeavam ávidos, sequiosos, surgiu o “petrolão”, onde empresários, políticos, gente de toda espécie, encheu as suas próprias burras. Depois, para explodir o “petrolão”, vieram a crescer as ambições de farsantes moralistas, como Sérgio Moro e Dalagnol, que passaram a ser adorados, como sempre, pela parte desavisada ou mitômana dos brasileiros pródigos, talvez de ingenuidades, inventando narrativas fantasiosas, e erguendo estátuas a inconsistentes mitos.

Os mitos chegaram ao poder, e nele começaram a desabar, ou a desconstruir-se, ou a mostrarem sua face real, sem a maquiagem fácil dos palanques.

E então, retornamos à Petrobras, outra vez no centro de uma polêmica, de onde a razão frequentemente escapa pelos esgotinhos disfarçados dos interesses pessoais, sobretudo, quando existe há pouco mais de um ano a evidencia de uma eleição.

O mito, agora, acabou de provar aos mitômanos que a sua caneta é forte. Com ela demitiu o presidente da Petrobras. Seria a fórmula que encontrou para acalmar os caminhoneiros, organizados e prontos para uma outra greve.

Desde Pedro Parente, implantaram na Petrobras as ideias de “desinvestimentos” e atrelamento ao dólar. Vendem-se ativos, entre eles as lucrativas refinarias, e exportam óleo para depois importar combustíveis, e surgia a dolarização, ou seja, o aumento dos combustíveis, quase toda semana. O povo brasileiro é extorquido, mas, por outro lado, cria-se a segurança de altos dividendos a serem pagos aos acionistas, contentando Wall Street, mas, também, assegurando aos investidores comuns, inclusive trabalhadores, a perspectiva de aposentadorias razoáveis, tendo recursos indispensáveis para um futuro sem sobressaltos. E no plano internacional, fortalecendo a imagem da petroleira do Brasil.

Como se vê, não é tão simples assim a equação que daria como resultado a estratégia correta para fortalecer a empresa Petrobras, e, paralelamente, de forma plena, atender ao interesse nacional.

Trata-se de um complexo problema, que exige, sobretudo, reflexão, comedimento, diálogo, e isso é o que falta por completo ao “mito”, que ameaça com a sua caneta, e de uma só vez causa um rombo de 30 bilhões na Petrobras, e ainda todas as imprevisíveis consequências que estarão por vir. Essa desarvorada caneta, atrelada à necessidade de permanência do mito até a eleição de 2022, da qual nunca retirou os olhos, desde quando, pela primeira vez, enxergou a faixa presidencial atravessada ao peito.

Vivemos um tempo turbulento e imprevisível, iniciado com data certa: dia primeiro de janeiro de 20019.

Será difícil percorrê-lo, com essa caneta errática a depender dos surtos circunstanciais de quem a maneja, obedecendo aos seus inconsequentes impulsos.

INFORME PUBLICITÁRIO

Sergipe começa a vacinar idosos de 80 a 89 anos a partir da próxima terça-feira

Com a chegada de novas remessas de vacina contra a Covid-19, Sergipe começa a expandir o público-alvo a ser imunizado no programa de vacinação e inicia a imunização dos idosos de 80 a 89 anos, na próxima terça-feira, 2.

A entrega das doses que chegaram do Ministério da Saúde nesta semana será feita na segunda-feira, 1º de março, e a vacinação começa no dia 2 em todos os municípios, com o seguinte cronograma: entre os dias 2 e 5 de março, serão vacinados os idosos com idades de 85 a 89 anos; na semana do dia 8 até o dia 12, a faixa etária de 83 e 84 anos; e na semana seguinte, de 15 a 19 de março, idosos de 80 a 82 anos.

A vacinação dos trabalhadores da Saúde continua até o estado alcançar os 100% de cobertura desse publico alvo.

Doses
Sergipe recebeu nesta quinta, 25, nove mil doses da Coronavac (Butantan). Na quarta-feira, 24, o Estado recebeu 16.500 doses da Astrazeneca.

O total das duas novas remessas soma 25.500 doses do imunobiológico, alcançando um público total de 19.963 pessoas, conforme consta no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. O Estado de Sergipe recebeu as primeiras doses de vacina em janeiro deste ano, num total de 76.680. Com as novas remessas, o total de doses recebidas salta para 102.180.

Vacinômetro
A cobertura vacinal avança nos grupos prioritários. Nos trabalhadores da saúde, 79,5% da primeira dose enviada foi aplicada e 76,9% da segunda dose. Quanto aos idosos que vivem em instituições de longa permanência, 105% da primeira dose enviada foi aplicada e 95,6% da segunda dose. Nos índios aldeados da tribo Xocó, em Porto da Folha, 96% da primeira dose enviada foi aplicada e 85% da segunda dose.

Já com relação aos idosos acima de 90 anos, 92% da vacina enviada para primeira dose já foi aplicada. Ainda não começou a vacinação da segunda dose por causa do intervalo de tempo necessário.

Pré-Universitário: Inscrição para o processo seletivo inicia-se na segunda-feira, 1º

A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), por meio do Departamento de Apoio ao Sistema Educacional (Dase), abrirá na próxima segunda-feira, 1º de março, as inscrições para o Processo Seletivo do Curso Pré-Universitário da Seduc, as quais serão gratuitas e deverão ser feitas via Internet até o dia 8 de março, no endereço: https://intranet.seduc.se.gov.br/preuni/.

Poderão participar da seleção alunos concluintes do Ensino Médio da Rede Pública no ano letivo de 2021 e estudantes egressos da Rede Pública. Serão ofertadas no processo seletivo 5.445 vagas, distribuídas em 44 polos em todo o Estado.

No ato da inscrição, o candidato deverá escolher o polo no qual deseja concorrer. Cada candidato terá um número de inscrição ao finalizar o cadastro. A seleção será realizada por meio de Sorteio Eletrônico Público, transmitido ao vivo no dia 11 de março, às 11h, no Canal Educação Sergipe no YouTube.

O sorteio público será realizado com a participação de, no mínimo, três servidores da Seduc e, em virtude da pandemia de covid-19, não haverá acompanhamento presencial de candidatos durante o sorteio. O resultado será publicado no dia 11 de março, no endereço eletrônico:https://intranet.seduc.se.gov.br/preuni/.

Matrícula e início das aulas

Os candidatos classificados deverão realizar sua matrícula no período de 15 a 18 de março, devendo entregar uma fotografia 3x4 recente, bem como as fotocópias legíveis dos seguintes documentos: carteira de identidade (RG); CPF; comprovante de residência; declaração emitida pela unidade de ensino comprovando a matrícula na 3ª série do Ensino Médio no ano corrente ou documento (certificado ou declaração) atestando que o candidato concluiu o Ensino Médio na Rede Pública, ou ainda documento de conclusão do Ensino Fundamental e comprovante de inscrição no Encceja Ensino Médio 2021.

Os candidatos cujo ano letivo precedente ao ano corrente não tenha se encerrado deverão apresentar declaração atestando que estão regularmente matriculados na Rede Pública e aptos a cursar a 3ª Série do Ensino Médio regular ou Ejaem no ano de 2021. Caso haja sobra de vagas após o término do prazo de matrículas, haverá convocação da lista de excedentes. O início das aulas do Curso Pré-Universitário está previsto para o dia 22 de março.

Avança Sergipe: recuperação da rodovia entre Lagarto e Riachão do Dantas evolui em sua execução

A recuperação dos 19 km da rodovia SE-170 entre os dois municípios se integra aos 32 km já revitalizados no percurso entre os dois municípios, seguindo o novo padrão estabelecido nas rodovias estaduais

Realizada pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs) e do Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER), a recuperação dos 19 km da rodovia SE-170 entre os dois municípios se integra aos 32 km já revitalizados no percurso entre Riachão do Dantas e Tobias Barreto, seguindo o novo padrão estabelecido nas rodovias estaduais, o que corresponde a seis metros de pista de rolamento (cada uma com três metros de largura) e dois metros de acostamento (um para cada lado da via).

Inserida no Pró-Rodovias, programa que faz parte do Avança Sergipe, cuja missão é reaquecer a economia do estado prejudicada em razão da pandemia da Covid-19, a obra recebe investimentos na ordem de R$ 12.107.678,13. Os serviços compreendem reciclagem do asfalto, terraplanagem, drenagem, pavimentação asfáltica, implantação de meio-fio em concreto em alguns trechos, e, por fim, sinalização vertical e horizontal. A recuperação da rodovia trará muitos avanços para a economia.

Avança Sergipe: Obras da Orla Sul geram entusiasmo para empresários do setor turístico e população

Sergipanos comemoram realização da obra e ressaltam que projeto trará benefícios para incentivar turismo e lazer na região

Realizada pelo Governo de Sergipe, a obra faz parte da ampliação da infraestrutura turística do estado e é um dos eixos do Programa de Recuperação da Economia – Avança Sergipe. O objetivo é acelerar a recuperação da economia sergipana no momento posterior às medidas de isolamento social e de restrição ao funcionamento de setores econômicos, tomadas no enfrentamento aos efeitos da pandemia da Covid-19.

Se a população está ansiosa e feliz , os empresários do setor de bares e restaurantes não veem a hora de ver a grandiosidade da obra pronta para ser explorada por turistas e sergipanos. O projeto total da Orla Sul tem início a partir da intersecção da Avenida Santos Dumont com a Rua Deputado Clóvis Rollemberg, no bairro Atalaia, seguindo a faixa litorânea da Rodovia Inácio Barbosa (SE-100) até Farol do Mosqueiro, no limite com o município de Itaporanga D’Ajuda, totalizando quatro trechos, que somados à recuperação da rodovia terão investimentos previstos na ordem de R$ 85 milhões.

O trecho 1: tem 2.160 metros de extensão e um investimento de R$ 8,6 milhões. Abrange as intervenções no lado esquerdo da Rodovia SE-100 no sentido Atalaia/Mosqueiro, com início a partir da Rua deputado Clovis Rollemberg até a proximidade do Loteamento Aruana (no final do Tecarmo). Os serviços correspondem à implantação de ciclovia e calçadas com acessibilidade (rampas, piso tátil e sinalização vertical e horizontal), criação de bolsões de estacionamento e áreas contendo aparelhos de ginástica, brinquedos, espreguiçadeiras, esculturas e bicicletário e a construção de cinco passarelas de acesso ao mar. Além disso, será feita a reconstrução da área do deque do banho doce, construção de mureta e banco linear em todo o perímetro e implantação de projeto paisagístico através da inserção de espécies vegetais nativas.

Já o trecho 2: totaliza 860 metros e valor de R$ 2,7 milhões em investimentos. Tem início no final do trecho 1 (um) e vai até a rótula do Loteamento Aruana, área que contempla os 17 bares existentes e construídos pela P.M.A. Nesse trecho está previsto a reforma e implantação de calçadas e ciclovias; 02 quadras de vôlei; 01 quadra poliesportiva; 03 passarelas de concreto; 04 áreas de apoio para piquenique, implantação de equipamentos de ginástica; construção de 17 abrigos para bares existentes; construção de Posto Policial; construção de Estação PCD; construção de área de apoio para ambulantes e banhistas, inclusive com banheiros; implantação de equipamentos lúdicos; implantação de bicicletário; construção de 02 postos de Salva-Vidas; construção de arquibancada em concreto.

O trecho 3 A: com extensão de 1.880 metros, totaliza R$ 13.140 milhões. Tem início a partir da rótula do Loteamento Aruana e vai até o Bar Maré Mansa, contemplando um conjunto de 22 bares. Entre as principais intervenções: implantação de ciclovias e calçadas; 09 bolsões de estacionamento com 262 vagas; readequações geométricas da rodovia para ordenamento e melhoria do tráfego; construção de estação PC, inclusive com banheiros; implantação de 03 espaços infantis, equipamentos de ginástica; centro de informações turísticas; construção de 1.500 de mureta e banco; prédio para feirinha de praia; rede de esgotos sanitários; rede de drenagem pluvial; bicicletário; 04 lombofaixas; criação e implantação da praça da rede; estações de descanso coberto; recuperação ambiental e paisagística através da inserção de espécies vegetais.

Aceleração do Investimento Público

As 145 obras com recursos já assegurados em execução ou contratação pelo Estado terão um acompanhamento intensivo para acelerar as suas execuções, entre elas, destacam-se: a Reforma de mais de 60 escolas na Rede Pública de Ensino; Ampliação de Sistemas de Abastecimento d’água e Implantação de Sistemas de Esgotamento Sanitário. Juntas, as obras somam R$ 478 milhões.

No quesito Aceleração do Investimento Público, o governo do Estado, também, desenvolve o Programa de Recuperação de Rodovias - Pró-Rodovias, que prevê a reestruturação de 441,5 km da malha rodoviária estadual, em um investimento de R$ 330 milhões na primeira etapa do programa.

Já foram iniciadas as obras das rodovias de Riachão do Dantas x Lagarto (SE-170); São Cristovão x Aracaju (SE-065 - João Bebe Água); Tobias Barreto x Riachão do Dantas (SE-170); Pinhão x BR-235 (SE-331); Moita Bonita x Serra do Machado (SE-240) e Serra do Machado x Ribeirópolis (SE-240).

Já foram licitadas as obras dos trechos que compreendem Simão Dias x Pinhão (SE-179); Gracho Cardoso x Aquidabã (SE-220); Itabaianinha x Umbaúba - BR-101 (SE-290); Porto da Folha x Monte Alegre (SE-200/SE-317/SE-230); Pov. Triunfo x Poço Verde (SE-361); Pedrinhas x Riachão do Dantas (SE-285); Entroncamento da BR-101 x Entroncamento da SE-100 (SE-470); Nossa Sra das Dores x Entroncamento da SE-240 - Serra do Machado (SE-339) e implantação da rodovia que liga a BR-101 x Pov. Rita Cacete (Acesso 017).

Dentro do Pró-Rodovias serão recuperados, também, os trechos entre Lagarto e o Entroncamento da SE-170, em Campo do Brito (SE-170); Rodovia da Orla Sul (SE-100); Boquim x Pedrinhas (SE-160); BR-235 x Campo do Brito (SE-170); Pacatuba x Brejo Grande (SE-204); Japaratuba x Pirambu (SE-226); BR-101 x Riachuelo (SE-245); Riachuelo x Malhador (SE-245); Entroncamento da SE-170, em Campo do Brito x Macambira (SE-255) e BR-101 x São Cristóvão (SE-464).

Governo do Estado de Sergipe anuncia conjunto de medidas que injetará mais de R$ 1,2 bilhão na economia

Além deste montante referente à aceleração de investimentos públicos; estímulo a setores e proteção à vulneráveis, Avança Sergipe prevê linhas de crédito para empresas e consumidores e flexibilização tributária

O Governo de Sergipe anunciou a criação do programa Avança Sergipe, um conjunto de medidas que tem o objetivo de acelerar a recuperação econômica do estado, no momento posterior às medidas de isolamento social e de restrição adotadas no enfrentamento à pandemia da Covid-19.

O programa tem como linhas de ação: Crédito para empresas e para os consumidores: Flexibilização Tributária; Aceleração do Investimento Público; Estímulo aos Setores mais atingidos; Proteção à população mais vulnerável e Melhoria na Rede Estadual de Educação e Saúde.

Dos recursos provenientes das medidas de estímulo ao crédito, por meio do Banese, e de flexibilização tributária, estima-se que o Governo injetará na economia R$ 1,2 bilhão. Dos R$ 1,2 bilhão, cerca de R$ 808 milhões serão para Aceleração de Investimentos Públicos; R$ 298 milhões para o Estímulo de Setores Econômicos mais afetados; R$ 55 milhões para Proteção à população vulnerável; R$ 44 milhões em Plataformas Digitais/EAD Educação e 14 milhões na Modernização de Gestão da Saúde e Telemedicina.

INFORME DESO

 

Deso promove I semana de gestão de pessoas “Deso & você”

A Companhia de Saneamento de Sergipe – Deso promoveu a i semana de gestão de pessoas “Deso & você”, na sede da empresa. Com o intuito de conhecer as necessidades dos colaboradores e aproximá-los, o encontro foi uma das etapas piloto do plano de ação oriundo da I pesquisa de clima organizacional virtual, realizada pela coordenação de desenvolvimento de pessoas (Cdpe). A gerência de gestão de pessoas (Ggpe) desenvolveu o evento em parceria com outras unidades da companhia, como a gerência socioambiental (Gesa), assessoria de comunicação institucional (Asci) e gerência de marketing (Gmar).

o evento aproximou as demandas dos colaboradores e da empresa e foi um passo importante que a empresa deu no sentido de aproximar as demandas dos servidores e da Deso. essa aproximação Proporciona melhores condições de trabalho e a prestação de um serviço mais eficiente para a sociedade. o evento teve como estratégia aproximar empresa e colaborador.  O colaborador trabalhando com mais satisfação produz mais e melhora a prestação do serviço para o seu cliente. dessa forma, a empresa vai buscar condições ainda melhores de trabalho.

Foi elaborada uma pesquisa piloto para sondar as necessidades dos colaboradores e criar um plano de ação . Foram divulgados pela rede interna da empresa alguns cursos gratuitos e treinamentos. no primeiro encontro, foi trabalhada a saúde emocional e adiante serão trabalhadas outras temáticas como motivação, reconhecimento, liderança e relacionamento.

Operação sertão sem sede: parceria entre a Deso, SSP e Cohidro combate furto de água em Sergipe

Nossa senhora da glória foi o primeiro município a ser visitado pelas equipes, que seguirão para outras localidades do estado com o objetivo de regularizar as ligações e o sistema.

Desvios clandestinos trazem inúmeros prejuízos ao abastecimento de água e prejudica o fornecimento para a população. é com o intuito de reverter essa situação em Sergipe, que foi firmado um convênio entre a companhia de saneamento de sergipe - Deso, secretaria de segurança pública de Sergipe – SSP e a companhia de desenvolvimento de recursos hídricos e irrigação de Sergipe -   essa parceria, levou equipes  da coordenadoria geral de perícias - Cogerp, polícia civil e militar, além da Deso, até o município de nossa senhora da glória, nesta terça-feira, 9, onde a "operação sertão sem sede" foi deflagrada e terá ações contínuas em todo o estado. 

De acordo com a diretoria de operação e manutenção da Deso, a população circunvizinha aos desvios de água também sofrem com o desabastecimento. É importante que a comunidade entenda essas ações como medidas de melhorias para o sistema. A intenção é prestar um serviço de qualidade, que faça a água chegar aos pontos mais remotos. O convênio está apenas começando e reforço que não serão ações pontuais, serão ações contínuas com o apoio da ssp, de forma incondicional. Não deixaremos de atuar de forma contundente para corrigir esse tipo de ação delituosa. 

Segundo a delegacia do município, a operação tem como objetivo averiguar os hidrômetros, e outros equipamentos relacionados à distribuição de água, que afeta toda população. O intuito é constatar as fraudes, que impactam no abastecimento e infelizmente é uma prática rotineira. A polícia civil dá suporte no sentido de aferir e atestar a prática do eventual flagrante de furto de água, e nessa primeira ação já constatamos adulteração no hidrómetro, com um prejuízo incalculável. através dessa interação entre polícia militar, polícia civil e instituto de criminalística será feita a materialidade técnica. A orientação é que a população evite essa prática e denuncie através do 181.

Perícia criminal

A perícia criminal participa de situações como a de furto de água para detalhar os procedimentos investigativos que são conduzidos pela polícia civil e remetidos à justiça. A operação é realizada desde 2019, em parceria entre a  Deso e a SSP, onde atuam o instituto de criminalística, sempre com o apoio das delegacias locais e da polícia militar. O objetivo é materializar o delito, por meio da perícia técnica, das violações com relação ao furto de água.

Relatórios e dados estatísticos feitos pela Deso, puderam identificar que a maioria das localidades onde são feitas reclamações de falta de água, são regiões que são ofertados volumes suficientes para atender a demanda existente, assim como a um possível crescimento das localidades, no entanto, devido as retiradas indevidas, esse fator não se confirma. A gerência regional de operações no sertão, da companhia de saneamento explica que desde 2019 já atua desse mesmo modo em operação conjunta, com resultados positivos com relação ao restabelecimento do abastecimento. As operações com o convênio firmado, foram retomadas e serão agendadas outras intervenções além dessa em glória. a Deso possui equipes voltadas especialmente para fiscalizações e com a parceria com a SSP, visualiza-se um complemento positivo que necessitamos.

Parceria entre a Deso, SSP e Cohidro flagra empreendimento comercial utilizando ligação clandestina

Casas estavam sendo construídas no bairro Santa Maria, em Aracaju

Mais de 400 casas residenciais estavam sendo construídas com água utilizada indevidamente, por um empreendimento comercial, no bairro Santa Maria, em Aracaju. A ação foi flagrada na tarde da sexta-feira, dia 12, em mais um desdobramento referente ao convênio entre a Companhia de Saneamento de Sergipe - Deso, Secretaria de Segurança Pública de Sergipe - SSP e a Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe -Cohidro, para coibir o furto de água.

A Perícia Criminal esteve presente juntamente com o apoio da Polícia Militar, e ao entrarem no local, foram feitas as análises e constatado que o empreendimento estava sendo construído com água irregular, com elementos suficientes para a condução do profissional responsável pela obra no momento, para a delegacia.

De acordo com a gerência responsável pelo Distrito Sul, o corte da água no local foi efetuado ao constatar as irregularidades. O empreendimento estava sendo construído e não poderia ter água fornecida pela Deso no seu interior, pois a empresa só faz interligação quando o cliente pede a ligação definitiva, mas foi constatado ao acessar o terreno da empresa que tinha água sendo utilizada de forma irregular.

Para a Perícia Criminal, a coleta detectou a presença de cloro na água, o que significa que é água tratada pela Deso. Ao serem acionados para fazer a constatação de furto de água, com apoio da Deso e Polícia Militar, foi feito o exame pericial e comprovado que havia o furto. Materiais foram coletados para passar por exames complementares para constatação de cloro e assim foi verificado que é água tratada pela Deso.

Clientes residenciais, comerciais e industriais poderão negociar seus débitos vencidos até o dia 30/11/2020 com desconto à vista ou parcelado em 100% da multa e juros

A Companhia de Saneamento de Sergipe – Deso, atenta a soluções que facilitem o dia a dia do cliente, está estabelecendo critérios e condições para negociações de débitos, referentes às faturas mensais de fornecimento de água e serviços de esgoto, entre outros, para os clientes das categorias residencial, comercial e industrial, de acordo com o Plano Especial de Recuperação de Crédito – PERC. Clientes da capital e interior sergipano, podem negociar todos os débitos vencidos e não pagos até 30/11/2020.

Negociação do Débito

Ao entrar em contato com os postos de atendimento da Deso, em qualquer região do Estado, o consumidor irá apurar a dívida e escolher a forma de pagamento. À vista, ele terá desconto de 100% da multa e juros. Optando por parcelamento, ele terá desconto de 100% da multa e juros e efetuará o pagamento de 10% do valor, no ato da negociação, podendo parcelar em até 20 meses com juros de 0,3% a.m.

O valor das parcelas acordadas será acrescido ao valor da fatura de água e serviços de esgoto do meses subsequentes a data de negociação, ficando em destaque na fatura a expressão “PERC - Plano Especial de Recuperação de Crédito”.

Documentação Necessária

1. Pessoa Física – cópia da identidade e CPF;

2. Inquilino – cópia do contrato de locação e autorização do proprietário do imóvel para negociar;

3. Pessoa Jurídica – cópia do CNPJ e contrato social atualizado do proprietário do estabelecimento comercial ou industrial;

4. Para Condomínios – cópia autenticada da ata que elegeu o síndico e cópia do CNPJ e RG do síndico;

5. Documento Legal de Posse – declaração de posse do devedor ou recibo de compra e venda de imóvel.

Ressaltamos que em caso de inadimplência das parcelas acordadas, o cliente perderá os benefícios, voltando o débito a ser cobrado com juros, multa e correção monetária.

De acordo com Edime Medeiros, Assessora Técnica Comercial Financeira da Deso, é uma grande oportunidade para os clientes regularizarem suas faturas. “Diante da pandemia, muitas pessoas passaram pela perda de emprego ou redução de salários. Essa negociação é uma forma que a Deso oferece em facilitar para as pessoas que estão com débitos, em regularizar a situação. Sabemos que a água é essencial, principalmente em tempos de pandemia”, ressaltou.

Mais informações através do telefone: (79) 4020-0195

 

 

Voltar